Opinião

Opinião

Ao lançar a pedra fundamental nas obras para construção de uma capela em homenagem a São Jorge, a União da Ilha dá um exemplo de respeito a Deus, fato que surpreende alguns pelo aparente contraste e preconceito entre o carnaval e algumas religiões. O templo vai ser um lugar exclusivo para orações, e as preces poderão ser a solução espiritual para muitas pessoas que buscam, pela fé em Jesus, vencer dificuldades impossíveis. Embora o carnaval seja conhecido como festa profana, a União da Ilha revela o contraditório em oposto, ao demonstrar respeito ao sagrado não se abstendo de agregar às suas novas instalações uma capela, cuja tutela espiritual será da Igreja de São José Operário, que tem o padre Jovir Zanuzzo como pároco.

Opinião - 20/04/2012 - Edição nº 1568

Opinião

Muita gente reclama com razão da falta de segurança, dos buracos nas ruas, do abandono das praças, dos engarrafamentos e até da prostituição descarada no mal iluminado Parque Poeta Manoel Bandeira, conhecido como Aterro do Cocotá. Entretanto, quem realmente deveria colocar a boca no trombone para estrilar são os moradores de algumas comunidades da Ilha que sofrem com a permanente falta de água. Imaginem os leitores que centenas de famílias são abastecidas apenas durante seis horas por semana.

Opinião - 13/04/2012 - Edição nº 1567

Opinião

É grave o problema que envolve o transporte marítimo de passageiros entre o Cocotá e o Centro da Cidade. Sempre atrasadas as embarcações também não oferecem segurança e cada viagem é, sem exagero, uma verdadeira aventura. Coletes salva-vidas com prazo de validade vencido, embarcações velhas e tripulação sem treinamento é o roteiro de viagens conduzidas por uma empresa que já deu diversas demonstrações de falta de responsabilidade com o serviço que deveria prestar com extrema competência. Afinal transporta centenas de vidas a cada viagem e cobra caro.

Opinião - 09/03/2012 - Edição nº 1562

Opinião

É inacreditável a poluição que atingiu as águas que banham a orla do Quebra Coco no último final de semana. Uma tintura escura, provavelmente de origem química, se alastrou em poucos minutos, a partir do meio-dia, saindo de uma galeria de águas pluviais, localizada no final da Rua Repouso. Como não há nenhuma indústria ou atividade comercial legal naquele bairro, acredito que tenha sido ato de algum irresponsável que despejou pela rede da sua casa uma grande quantidade de resíduo desconhecido e que pode ser perigoso para a saúde humana e a fauna marítima.

Opinião - 02/03/2012 - Edição nº 1561