Notícias

Trânsito na Rua do Monjolo é um caos

Moradores e motoristas pedem fiscalização para colocar ordem na via


26/02/2021 - Edição 2030

Na rua com mão dupla, irregularidades como o estacionamento nos dois lados e sobre as calçadas, irritam os motoristas
Na rua com mão dupla, irregularidades como o estacionamento nos dois lados e sobre as calçadas, irritam os motoristas

O trânsito caótico na Rua do Monjolo, que faz a ligação entre a Praia das Pitangueiras e a Estrada do Rio Jequiá, tem gerado um enorme transtorno tanto para pedestres quanto para motoristas. Com calçadas estreitas e ocupadas por veículos estacionados nos dois lados, não há espaço para pedestres e a via, que é muito estreita, fica ainda mais espremida para a passagem de veículos em mão dupla.

A rua tem um fluxo intenso de veículos e de pessoas ao longo do dia. O problema é mais grave principalmente no trecho próximo ao acesso à Estrada Rio Jequiá, onde funcionam a farmácia, uma oficina mecânica e outros pequenos negócios. Muitos motoristas param os veículos para ir em algum desses estabelecimentos, que se somam aos carros de moradores que não possuem garagem. Sem espaço, os congestionamentos são inevitáveis.

A insatisfação a rua é antiga e frequentemente leitores do Ilha Notícias enviam reclamações para a coluna Boca no Trombone, denunciando o caos no trânsito da via. Quem reforça essa insatisfação é o comerciário Jorge Coelho, 43 anos. Ele trabalha na Portuguesa e passa todos os dias pela Rua do Monjolo para ir ao ponto de ônibus localizado na equina com a Estrada do Rio Jequiá.

— É muito complicado andar por aqui. Sempre têm muitos carros parados em cima das calçadas. As vezes com duas rodas ou até mesmo com as quatro. Aí você pensa em andar pela rua, mas não dá porque os carros engarrafados ficam grudadinhos um ao outro e não fica espaço para passar. Desse jeito fica muito difícil e me sinto encurralado andando por aqui — explica.
O motorista de aplicativo Matheus Santos, 31 anos, conta que a Rua do Monjolo é uma das mais estressantes de trafegar, por conta do trânsito intenso na maior parte do dia.

— Sempre que vou buscar passageiro por lá eu já fico irritado. Porque sei que vou precisar encarar um engarrafamento chato. Sempre a mesma coisa, é um carro por vez. Aí para, dá passagem para o outro e depois você passa. É um saco — reclama Matheus, pedindo uma fiscalização mais eficiente — Se as autoridades fiscalizassem os carros estacionados na calçada, já ajudaria no trânsito.

A Guarda Municipal não se pronunciou até o fechamento desta edição.