Notícias

Cães são imunizados na Freguesia

Ação é preventiva depois que morcego foi detectado com o vírus da raiva no bairro


29/11/2019 - Edição 1965

Agentes de saúde foram nas casas para aplicar vacina antirrábica nos cães
Agentes de saúde foram nas casas para aplicar vacina antirrábica nos cães

Após ser identificado um morcego com o vírus da raiva na Ilha do Governador, conforme informou o jornal Ilha Notícias, na semana passada, a Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses do Rio, programou visitas, na terça (26), em residências da Rua Comendador Bastos, na Freguesia, região onde foi encontrado o morcego cujo teste deu positivo. Na ação, agentes de saúde levaram para os moradores orientações sobre os cuidados que precisam ser tomados e aplicaram a vacina antirrábica em mais de duas dezenas de cães ainda não imunizados este ano.

— Fizemos a vacinação perifocal, realizada nas casas no entorno do local onde o animal com o vírus da raiva foi encontrado. Foi uma ação de prevenção e sem motivos para pânico. Os morcegos são animais silvestres encontrados comumente no Rio, protegidos por lei e que não atacam. O morcego contaminado era da espécie frugívoro, que se alimenta apenas de frutas, e não de sangue. A coleta de morcegos mortos faz parte do monitoramento de zoonoses no município, dentro do Programa de Controle da Raiva do Ministério da Saúde — explicou a médica-veterinária Patrícia Nuñez, coordenadora de Zoonoses da Vigilância Sanitária do Rio.

Além da Rua Comendador Bastos, a equipe integrada pela médica-veterinária Eucy Galamba e dois auxiliares percorreu a Rua Magno Martins e a Praia da Guanabara. Um dos moradores da casa onde o morcego morto foi coletado, Milton Andrade Lemme, destacou a importância da orientação recebida, já que possui um pé de mangueira de grande porte no quintal e outras árvores que podem favorecer a aparição de morcegos.

— As folhas das árvores deixam o local bastante escuro e isso atrai os morcegos. Vou providenciar maior iluminação perto das árvores, a fim de afastá-los daqui — disse Milton.

Rua Comendador Bastos onde foi encontrado o morcego

Segundo os técnicos da prefeitura, os dados do monitoramento de zoonoses são constantemente atualizados e disponibilizados no site da Vigilância Sanitária, com mapas e outras informações. O município não registra casos de raiva em humanos desde 1986 e em cães e gatos há 24 anos. Os números são resultado de uma série de ações de controle adotadas pela prefeitura, como a vacinação de cães e gatos. Em três anos já foram aplicadas cerca de um milhão de doses da antirrábica na cidade.

Caso se avistado algum morcego vivo ou morto, a orientação é evitar o animal, e no caso de entrar na casa de algum morador o procedimento é colocar algum balde ou bacia de cabeça para baixo para imobilizar o animal e ligar imediatamente para a central 1746, que acionará a Vigilância para fazer a coleta.