Notícias

A origem dos nomes dos bairros da Ilha

Atualmente a região possui 14 bairros e cerca de 20 sub-bairros


Por Juberto Santos

23/04/2021 - Edição 2038

Você que nasceu ou reside na Ilha do Governador sabe de cór o nome dos bairros que correspondem a nossa região insulana. Mas o que eles significam?

Desde a década de 1980, a nossa Ilha deixou de ser um bairro e foi subdivida em 14 bairros: Bancários, Cacuia, Cocotá, Freguesia, Galeão, Jardim Carioca, Jardim Guanabara, Moneró, Pitangueiras, Portuguesa, Praia da Bandeira, Ribeira, Tauá e Zumbi. Certamente você sentiu falta dos nomes (Bananal, Guarabu, Dendê, Parque Royal, Tubiacanga, Boogie Woogie, Itacolomi, INPS...), não é mesmo? Essas regiões são faladas e conhecidas pelos insulanos, porém são localidades dentro dos bairros.

O nome Bancários surgiu do conjunto habitacional construído pelo antigo Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Bancários (IAPB), inaugurado em 1953, com mais de 200 residências. A palavra Cacuia – termo nativo que significa “morro em forma de cuia, arredondado”. Há também estudos que mostram que essa palavra pode ser associada ao dialeto Quicongo, aonde “Kankuia” significa cemitério. Para os Bantos, possui significado semelhante: morrer, acabar.

Já o Cocotá é um nome de origem indígena que significa “local de roças”, que se refere aos cultivos feitos pelos nativos. O termo Freguesia deve-se à Ermida (atual Santuário de Nossa Senhora da Ajuda), erguida no fim do século XVII, por Jorge de Souza, o Velho, em terras de seu engenho. Em 1710, foi criada a freguesia de Nossa Senhora da Ajuda e a ermida, já em ruínas, foi reconstruída.

O nome Galeão tem origem num grande navio, o “Galeão Padre Eterno” que, na época, seria a maior embarcação do mundo, construído em estaleiro montado na “ponta do Galeão” (local próximo à pista do aeroporto). Ele fez sua primeira viagem em 1665 e, chegando a Lisboa, impressionou os governantes portugueses por seu porte e qualidade. O chamado Jardim Carioca – vem de um projeto de arruamento e loteamento, em terreno de propriedade da “Companhia Geral de Habitações e Terrenos”, em 1929. Caso semelhante é o Jardim Guanabara, outro projeto de urbanização realizado pela Companhia Imobiliária Santa Cruz, em 1936, buscando criar um bairro modelo, com belos traçados de ruas e construções.

O Moneró, antes chamado “Jardim Ipitangas”, surgiu em 1956, quando a Construtora Governador S.A. urbanizou as terras adjacentes aos terrenos do Jardim Carioca. As diversas placas junto ao novo loteamento constavam também o nome dos diretores da empresa, Eloy e Helio Moneró. Por este motivo a população local começou a chamar o loteamento de “Moneró”. Já Pitangueiras, palavra indígena significando PYTY–NGUÊ-RA (“apertado, afogado”), logo não seria por conta da espécie de árvore de mesmo nome.

A Portuguesa deriva da Associação Atlética Portuguesa, com uma urbanização mais recente, ocupada principalmente por conjuntos residenciais. A Praia da Bandeira tem origem na Bandeira Brasileira que era hasteada ao lado do canhão, no Pequeno Forte da Ponta do Tiro, construído na década de 1920. A Ribeira viria da fazenda da Ribeira, que existiu no século XIX, em estreita faixa de terra dessa área na Ilha. O nome Tauá é um termo nativo que significa “barro vermelho”. Finalmente chegamos ao Zumbi, cujo nome é nativo TUMBY, (“cintura feminina”), devido ao formato sinuoso da praia.

Lembro que só valorizamos e amamos aquilo que conhecemos! Viva a nossa Ilha, que contém tantas histórias maravilhosas por todos os lados!