Gente da Ilha

Intensa em suas interpretações, Claudette Ferraz tem talento e carisma

Gente da Ilha - Claudette Ferraz

Ela tem o tom de voz grave e um modo de interpretar canções com uma energia singular. Teve na mãe a grande inspiração para as artes musicais e seu primeiro grupo foi “O Bando”, uma banda montada por um músico que apostava no talento da menina de 16 anos, que encerrava algumas apresentações em bailes. Ao atingir a maioridade, um amigo a convidou para ser a cantora do grupo e após hesitar um pouco, Claudette Ferraz jogou-se de corpo e alma nos palcos da vida. Seu primeiro show foi em um baile promovido pelo Clube Seropédica em 1978 e, nesta época, ela era conhecida com Lady Crooner. Daí em diante, muitas portas se abriram e a jovem promessa da MPB foi amadurecendo suas performances e conquistou seu espaço nas noites do Rio de Janeiro.

Gente da Ilha - 05/06/2015 - Edição nº 1731

Padre Carlos: 20 anos na Ilha

Insulano de coração e padre por vocação

Ele tem a fala mansa e pausada e um sotaque conhecido no Brasil como “portunhol”, que seria a fusão do português com o espanhol. Isso porque ele nasceu na Espanha, na cidade de Santander. Recentemente completou 70 anos de idade e, há 46, segue com grande devoção o ofício de ser padre. Aos 11 anos, Carlos Gomez Saez foi para o seminário em Barcelona e, após ser ordenado padre, se tornou professor do seminário onde estudou. E lá ficou durante 15 anos. Sua chegada ao Brasil, em 1986, se deu por conta de um amigo que também era padre em São Paulo.

Gente da Ilha - 29/05/2015 - Edição nº 1730

Silvio Mendonça (ao centro) com a filha Daniele e o genro Marcos: família unida e vencedora

A farmácia Capanema é a sua vida

No bairro do Tauá, se alguém perguntar pela farmácia do Silvio, todos vão dizer onde fica. Afinal, são 61 anos desde que a farmácia foi fundada, e nessas seis décadas ajudou a salvar muitas vidas de moradores da região. O proprietário da Farmácia Capanema é Silvio Mendonça Leite, um sujeito de 81 anos, cuja trajetória de vida é marcada por sua personalidade forte e leal. Tem carisma e opinião. É daquelas pessoas que exerce suas atividades profissionais com eficiência e humanidade. Silvio é o personagem deste Gente da Ilha. E ele é gente com G maiúsculo.

Gente da Ilha - 08/05/2015 - Edição nº 1727

Dedicado ao esporte e a família, Paulo Henrique é um expoente do frescobol

O campeão do mundo que mora na Ilha

Nascido no Cacuia, no antigo hospital Paulino Werneck, Paulo Henrique Montez dos Santos tem 45 anos de Ilha do Governador e diz que este é o seu lugar. “Adoro essa região, aqui tenho meus melhores amigos. Nas areias das praias da Bica, Engenhoca e Freguesia, eu aprendi a jogar frescobol. A Ilha me traz segurança e o conforto de um lar”, comenta o descendente de portugueses e nordestinos, mais conhecido como PH.

Gente da Ilha - 24/04/2015 - Edição nº 1725

Músico e ator, Gilberto que mais espaço para cultura.

Um novo teatro na Ilha é a sua meta

Carioca nascido no Rio Comprido e descendente de portugueses, ele começou a estudar teatro para se livrar da timidez que dificultava muito sua vida, inclusive para arrumar namoradas. Quando menino, por volta de 13 anos, a família achava que o jovem seria jogador de futebol, tamanha era sua habilidade com a bola nos pés, chegou a treinar nas divisões de base do Clube da Portuguesa, mas o desejo de ser jogador foi substituído pela magia da encenação, e, sobretudo, pelo poder da literatura.

Gente da Ilha - 02/04/2015 - Edição nº 1722

As responsabilidades de Lu na União a tornam uma das pessoas mais importantes da escola

Lu comanda os bastidores na União

Desde criança ligada ao samba, Luzinete de Mello Varjão Mota, 49, mais conhecida como Lu, nascida e criada na Ilha do Governador no bairro da Ribeira, aos 10 anos era porta estandarte em um bloco carnavalesco do bairro. Com desenvoltura e talento, a menina foi convidada para ser Porta Bandeira Mirim da União da Ilha. Mas, como era muito jovem e naquele tempo o samba não era visto com bons olhos, a mãe não permitiu, fato que deixou a jovem profundamente triste.

Gente da Ilha - 27/02/2015 - Edição nº 1717